História

Em 1922, a família Cel. Alberto Melo, donos da Fazenda Morro Agudo, doou uma faixa de terra para a Igreja, onde foi construída uma capela, dedicada a São Francisco de Assis. Durante muitos anos, o Pe. João Musch, vigário de Nova Iguaçu, deu assistência a Morro Agudo, celebrando a Missa todo quarto domingo de cada mês e a festa do padroeiro no mês de outubro. O senhor Euclides Monteiro era o sacristão e rezava terços e ladainhas no mês de maio que sempre se encerrava com a coroação de Nossa Senhora que era preparada por D. Norah e moças das famílias daqui.

Por motivo da idade já avançada de Pe. João e por estar com a saúde abalada, aos 13 dias do mês de junho, o senhor Bispo de Barra do Piraí Dom José André Coimbra, com a autorização do cardeal do Rio de Janeiro Dom Jaime de Barros Câmara, assinou um documento elevando a Paróquia, à Igreja de São Francisco de Assis, satisfazendo assim, o desejo do povo de Morro Agudo.

 

Foi nomeado um padre para a nova Paróquia, mas devido às condições precárias da Igreja, o padre não aceitou o cargo, continuando Pe. João a vir, quando podia, para celebrar. 

Três anos depois, em 22 de agosto de 1952, vindo da paróquia de Santo Cristo, no Rio de Janeiro, Pe. Aloísio Rucha onde trabalhava como padre auxiliar assumiu a comunidade. Não havia casa para o padre morar, as primeiras noites ele dormiu na pequena sacristia em cima de um banco. A senhora Antônia Nice de Almeida e seu esposo, cederam uma casa de sua propriedade para o padre morar. 

O senhor Thomás Joaquim da Fonseca e muitas senhoras da localidade se incumbiram de comprar mobílias e roupas para a casa do padre. 

O novo pároco convocou o Povo para melhorar as condições da igreja. Em pouco tempo os trabalhos foram terminados e a igrejinha estava novamente bonita.

 

O Apostolado da oração já existia quando Pe. Aloísio chegou. Era dirigido pela senhora Delfina de Moraes Fonseca e a senhora Nair Carielo. 

Dois anos depois foi criada a Pia União das Filhas de Maria, dirigida pelas senhoritas Nadir Lobato e Nair Carielo de Almeida. Com alguns homens, já que pertenciam a Liga Católica em Nova Iguaçu, fundou aqui também a liga. 

Primeiros membros: Sr. Artur Magalhães Thomás Fonseca, Tertuliano, Juventude, Virgílio e muitos outros, foi também criada a Associação Infantil, Cruzada Eucarística e Congregação Mariana. 

Com ajuda da Alemanha foi construída a Casa Paroquial em 1954, logo após construiu o salão paroquial que funcionou algum tempo como cinema. A intenção do padre era conseguir verba para construir a nova igreja. 

Em fins de 1958 com a visita pastoral do novo Bispo, Dom Angelo Rossi foi lançada a pedra fundamental da nova igreja que recebeu o nome de Santuário de São Francisco de Assis. 

Com grandes dificuldades foram iniciadas as obras do Santuário, tendo a frente como mestre de obras o Sr. Inocêcio da Igreja de Santo Antônio e como responsável pelos trabalhos o Sr. José Pedro Sobrinho.

Foi lançada a campanha do tijolo, os irmãos Távora doaram as pedras do alicerce e o Pe. Aloísio pedia aos paroquianos que nas missas de domingo levassem 1 tijolo ou a quantia correspondente a compra de um. Todo o povo colaborava com as obras. Mulheres, homens e até crianças com cartõezinhos para furar. Cada cartão dava pra comprar 10 tijolos. 

Foram árduos anos de muito trabalho. Todo o povo ajudou com muita garra. Muitos deram suas horas de trabalho ajudando a subir as paredes da nova igreja. Entre muitas pessoas, destacamos a Srta. Nilcéia que trabalhou, ajudando com o carrinho de mão a colocar concreto nas vigas e o Sr. José Pedro, incentivava o padre a continuar as obras apesar das dificuldades e da falta de dinheiro. E assim, foi erguida esta igreja que é, senão, a mais bela da Diocese. 

Pe. Aloísio sempre organizou grandes festas do padroeiro, tendo como coordenador, junto as comissões das festas sempre o Sr. Leão Ferraz, que ele chamava de seu grande amigo Feroz. 

No ano de 1965, aos 18 dias do mês de Julho, foi fundada a Ordem Terceira Franciscana, com uma festa muito bonita. 

Compareceram todas as Fraternidades do Rio de Janeiro com suas bandeiras. 


Autoridades presentes: 
Dom Honorato Piázera (Bispo de Nova Iguaçu) 
Frei Mateus Hopres (Presidente Nacional da Ordem Terceira). 
Frei Frederico Vier (Auxiliar em Nova Iguaçu) 

Frei Matheus nomeou Pe. Aloísio, assistente da fraternidade aqui na Paróquia. 

Pe. Aloísio já nos últimos anos de sua vida, recebeu da Alemanha uma pequena herança que usou para colocar o mármore do altar e da sacristia. 


Ele sempre dizia: 
"Sonhei fazer o santuário e colocar mármore no chão do altar. Isto, Deus permitiu. Agora se o senhor me chamar, vocês construam a torre". 

Aos 3 dias do mês de Julho, após 30 anos de dedicação à igreja e ao povo de Morro Agudo que ele dizia ser família, Deus o chamou para o Céu. 

No mês de setembro de 82, Dom Adriano, saudoso Bispo da Diocese de Nova Iguaçu, numa cerimônia simples, colocou Pe. Pedro Guerts como vigário de Morro Agudo. 

Pe. Pedro em sua curta gestão e, nossa paróquia, fundou 04 comunidades: Imaculada Conceição, São José Operário, São Thiago e Nossa Senhora de Fátima. 

Em meados de 83 deixou Pe. Paulo Miler que reorganizou a ação social já existente sob a orientação do vicentinos. 

Após 02 anos como vigário, Pe. Paulo foi designado para dirigir o seminário Paulo VI em Nova Iguaçu. 

Foi então nomeado por Dom Adriano, como vigário, Pe. Rodolfo que já trabalhava com Pe. Vidal, aqui na paróquia desde 82 com Pe. Pedro. 

Pe. Rodolfo com a ajuda de Pe. Pedro trabalhou muito em prol das comunidades, conseguiu a compra dos terrenos de São José Operário e Nossa Senhora de Fátima através do Sr. Bispo, Dona Geralda e Marlene (coordenadoras da comunidade de São José, na época) conseguiram verbas da Alemanha por meio de uma carta assinada por Pe. Pedro para a construção da comunidade de São José Operário, mais tarde o Pe. Rodolfo mandou uma nova carta conseguindo mais verbas para a construção de Nossa Senhora de Fátima. 

Trabalhava com os pedreiros virando concreto e até fazendo laje. Incentivou a Ação social e cuidou de 2 creches existentes nessa paróquia. Reformou a comunidade Menino Jesus de Praga. 

Pe. Rodolfo foi sempre muito dedicado aos seus paroquianos. Visitava as famílias, os doentes e saía altas horas da noite para levar pessoas aos hospitais, maternidades e para levar Unção dos enfermos. 

Pe. Vidal sempre o acompanhou na paróquia se revezando com ele no atendimento às comunidades. Durante 2 anos, Pe.Vidal deu assistência à comunidade de Nossa Senhora de Fátima formando lá um bonito grupo de jovens. Pe. Rodolfo após quase 15 anos de trabalho dedicado à igreja, voltou a seu país para um ano de merecido descanso. 

No dia 19 de Abril de 1998, tomou posse, numa bonita cerimônia o Pe. Paulo César Machado. O jovem padre veio da Paróquia se Cabuçu onde trabalhou 3 anos. 

Neste primeiro ano, o Pe. Paulo dinamizou todo o trabalho paroquial. Aumentou o número de missas nas comunidades, pedindo aos dirigentes que não deixem as comunidades fechadas. Neste curto espaço de tempo, já reformou a Casa Paroquial, fez obras no salão paroquial e Pintou a Igreja. 

Padres que colaboraram com Pe. Aloísio Rucha no trabalho de crescimento de nossa paróquia: 

 

Pe. Manoel Monteiro, que esteve sempre junto dele e por várias vezes assumiu a Paróquia quando ele ficava acamado ou internado no hospital. 
Pe. Dinarte Passos; 
Frei Matheus Horpes; 
Pe. Lauro; 
Pe. Horlando; 
Pe. Ari; 
Frei Mauricio. 


 

 

Padres que passaram por aqui e colaboradores de Pe. Rodolfo: 

 

Pe. Vidal; 
Pe. Bernardo; 
Frei Frederico (foi pra Itaguaí); 
Pe. Thiago; 
Pe. Fernando; 
Pe. Constâncio; 
Pe. Alberto. 


 

 

Tomou posse no dia 27 de abril de 2005, Pe. Geraldo Magela, que chegou cheio de disposição após dez anos de trabalhos na Paróquia São Sebastião de Olinda. Pe. Geraldo tem se dedicado a restaurar a memória da nossa igreja e realizar o projeto de construção original da igreja feita pelo Padre Aluisio Rucha. Reformou todo ádrio e deu vida com um lindo jardim, reanimou a pastoral do Dízimo, criando uma secretária apenas para os dizimistas. Também construiu a imagem de 06 metros de altura que se encontra na frente da igreja matriz e foi inaugurada no dia 04 de outubro de 2006, na festividade de São Francisco por nosso bispo D. Luciano. Pe. Geraldo fez sua despedida no dia 11 de abril de 2007, na celebração eucarística que foi presidida por ele, e com a presença do Pe. Geraldo Magalhães. 

No dia 12 de abril do ano de 2007, na celebração das 19h. D. Luciano colocou a frente da Paróquia como pároco, Pe. Geomax de Jesus Guimarães Ramos, conhecido como Pe. Max. Estiveram presentes na celebração Pe. Davenir, Pe. Luciano, Pe. José Antônio, Pe. Bruno, Pe. Gelson, Pe Clínio, Pe. Paulo Machado, Pe Nedson, Diácono Sebastião. Houve uma grande participação dos paroquianos da Santíssima Trindade, a qual Pe. Max estava trabalhando até o presente momento. Logo após, foi servido um coquetel aos padres na casa paroquial. 

No sábado dia 15 de abril de 2007, foi realizado o primeiro conselho paroquial, no qual Pe. Max foi solicitado pelos mesmos a fazer algumas mudanças, principalmente na equipe de administração paroquial.

 

No final do ano de 2008, Pe. Max, junto com o Conselho Paroquial iniciaram os preparativos para a celebração dos 60 anos de criação da paróquia, e como marco celebrativo, foi decidido fazermos a restauração da Igreja, com a modernização da secretaria, revestimento interno, piso em granito, presbitério, elétrica e pintura.

 

Fachada da Matriz, em 2007.

 

Durante o processo de reforma da Igreja, Pe. Max foi obrigado depois de uma vistoria da Defesa Civil, a retirar a imagem que fica na frente da Igreja, pois a mesma não apresentava nenhuma segurança para as pessoas, pois os braços em gesso e cimento já haviam despencado, quase atingindo três crianças.

 

E, finalmente, no dia 13 de julho, marco celebrativo dos 60 anos, em uma belíssima celebração presidida por Dom Luciano, e a participação dos padres do Regional, foram inauguradas as obras.

 

Fachada da Matriz, em 2010.

 

 

Após quase nove anos de frente com a Paróquia São Francisco, Pe. Max teve que se despedir dos seus paroquianos, no dia 10 de fevereiro de 2016, Quarta-feira de cinzas, onde aconteceu a sua Missa de despedida. Nesta noite, muitas homenagens lhe foram prestadas, pois ao longo de todos esses anos, ele foi muito querido e amado por toda a comunidade.

 

No dia 14 de fevereiro de 2016, Pe. Ricardo Barbosa de Freitas assumiu a Paróquia, sendo, portanto, o sucessor do Pe. Max. Na Missa de posse estiveram presentes Dom Luciano, Pe. Daniel Santos, Diácono Sandoval e Diácono Reginaldo Pereira.

 

Todas as comunidades e cada representante de pastoral da Paróquia, acolheu o Pe. Ricardo com muita alegria.

 

Depois de uma longa jornada de trabalhos pastorais, nossa paróquia ao completar 60 anos de caminhada, pode jubilar por todos os feitos realizados durante todos esses anos, porém os méritos todos são do povo de Deus, que com muita garra e força de vontade, escreveram cada dia desse longo tempo. 


Atualmente, nossa paróquia conta com sete comunidades mais a matriz, sendo elas: 

 

• COMUNIDADE SÃO FRANCISCO DE ASSIS

 

• COMUNIDADE IMACULADA CONCEIÇÃO

• COMUNIDADE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA

• COMUNIDADE NOSSA SENHORA DE LOURDES E SANTA PAULINA

• COMUNIDADE NOSSA SENHORA DE NAZARÉ

• COMUNIDADE NOSSA SENHORA DOS ANJOS

• COMUNIDADE SÃO CRISTÓVÃO

• COMUNIDADE SÃO JOSÉ OPERÁRIO

 

Muitos foram os que não mediram esforços nessa evangelização, pois como "discípulos e missionários" ao longo desses sessenta anos de caminhada, deixaram suas pegadas, outros passaram deixando exemplos de fé, serviço, oração e partilha, mas por vontade divina não se encontram entre nós por estarem ao lado do Pai, outros estão chegando para também deixarem marcadas as suas pegadas nesse caminho que é longo. 

Localizada na Diocese de Nova Iguaçu (Baixada Fluminense), a paróquia São Francisco de Assis tem 63 anos! Foi fundada no dia 13 de Julho de 1949, pelo pároco, Padre Aloísio Rucha(*07/09/1914 +03/07/1982). Atualmente, encontra-se sob a administração do Pároco: Pe. Ricardo Barbosa de Freitas.

 

Fachada atual da Matriz.

 

"Comece fazendo o necessário, depois o que é possível, e de repente estará fazendo o impossível" (São Francisco de Assis)

 

Paz & Bem!

Aproxima-se a festa do nosso padroeiro. Este é um momento intenso para nossa Paróquia. Em primeiro lugar, devemos compreender como Paróquia...

Segunda e Sexta-feira, às 19h.
Quarta-feira (missa da graça), às 19h.
Domingo, às 6h30m, 8h e 19h.
Copyright 2011-2013 © Paróquia São Francsico de Assis, Nova Iguaçu/RJ - Todos os direitos reservados